A jornada começa com curiosidade

“The journey begins with curiosity
And envolves into soul-felt questions”
– Chuck Schuldiner (Perennial Quest)

Para começar: não faço ideia do que irei escrever neste espaço, mas sei que o quero fazer. Não há um plano em concreto, a não ser falar daquilo que me apaixona, seja isso a música, o design, a natureza humana ou temas da própria atualidade. Sem pretensiosismos e tentando abordar os temas com a honestidade brutal que torna textos interessantes.

Deixem que me apresente

Chamo-me Rui Alexandre e nasci a 14 de novembro de 1981 em Coimbra. Sou designer de profissão, que é algo que me preenche em termos profissionais, pois sempre adorei colocar a comunicação em prol da funcionalidade. Não tenho um estilo em concreto, mas opto pelo minimalismo para os projetos dos meus clientes, sempre que posso. Sinto que é algo que resistirá melhor à passagem dos tempos e das modas.

Simultaneamente, dedico grande parte do meu tempo a dinamizar a Mosher Clothing, que fundei em 2014 e me permite sentir que estou a criar algo realmente meu para todos. Tudo o que sai por esta marca é autêntico e tem como base um sentimento genuíno: o amor ao metal e a tudo de bom que o rodeia.

Em termos artísticos, toco nos Terror Empire desde 2009, altura em que fundei a banda com alguns amigos. Lançámos 1 EP (Face the Terror), dois LP (The Empire Strikes Black, Obscurity Rising) e temos tocado por todo o país, além de algumas incursões pelo país vizinho. Tocamos thrash metal agressivo e é um escape artístico que em muito contribui para que me sinta realizado musicalmente.

Sempre ouvi bandas como Megadeth, Metallica, Pantera, Sepultura e isso marcou-me desde muito cedo. Abri os horizontes para a maior parte do espectro metálico e isso começou a verter para o meu estilo de vida de forma quase irreversível. E ainda bem: fiz imensos amigos neste meio, muita malta conhecida e que estimo muito, e tenho vivido muitas experiências que me enriquecem a vários níveis.

Tenho uma gata chamada Meshuggah, sou do Benfica e isso me envaidece.

Já chega de falar de mim, venha o próximo post. Espero que gostem do que venham a ler. Discutam, argumentem, estejam à vontade.

Subscrevam os posts! Sigam-me nas redes sociais (links no rodapé).